Responsive Image

Breadcrumb

Navigation Menu

Viticultura e Enologia

Viticultura e Enologia

 

Portugal tem um importante património vitícola, tendo este setor uma elevada importância estratégica.

 

Do trabalho desenvolvido no âmbito da investigação e inovação, destacam-se como principais atividades a conservação e valorização dos recursos genéticos vitícolas nacionais, o melhoramento genético e seleção, estudos em agricultura de precisão e desenvolvimento de novas tecnologias e de novos produtos, tendo em vista a qualidade, a sustentabilidade e a segurança alimentar.

 

O repositório da Coleção Ampelográfica Nacional encontra-se localizado no Polo de Inovação de Dois Portos (Estação Vitivinícola Nacional), composto por cerca de 250 castas portuguesas num universo de 500 diferentes castas nacionais e estrangeiras. Existem ainda algumas réplicas de castas locais nas várias regiões de origem (Polos das Direções Regionais de Agricultura e Pescas - DRAPs), geridas pelas respetivas DRAPs.

 

Mais informação no Portal do INIAV,I.P.

 


 

Regiões Demarcadas
 

 

  • Região Demarcada do Douro
     

As características climáticas, orográficas e mesológicas existentes na Região do Douro são condicionadoras do aproveitamento económico dos recursos naturais e das atividades aí desenvolvidas.

Foi a coexistência de vários vinhos de qualidade na Região Demarcada do Douro que determinou que fosse necessário criar um critério de escolha e partilha dos mostos produzidos na região.


Assim, da totalidade da superfície plantada com vinha, somente 26.000 ha estão autorizados a produzir Vinho do Porto.

As vinhas aptas a produzir são selecionados por um critério qualitativo baseado no Método da Pontuação, e classificadas segundo uma escala qualitativa de A a F. Este método tem em consideração parâmetros edafo-climáticos e culturais com importância determinante no potencial qualitativo das parcelas. É a partir do 5º ano de plantação que as vinhas podem ser consideradas para efeito de produção de Vinho do Porto, e, de acordo com os elementos cadastrais, cada parcela de vinha tem direito a um determinado coeficiente de benefício.
 

A viticultura, atividade principal para a maioria dos agricultores da Região, desenrola-se em condições climatéricas particularmente rudes, em solos pedregosos, sem utilização alternativa.

 

Mais informação no site do IVDP,I.P.

 

Last update: 01 Outubro 2021 16:24